Mirtilo

O que é?

O Mirtilo é um fruto que pertence a uma fileira agro- alimentar de excelência, conhecido não só pelo seu sabor distinto e equilibrado, mas também pelas suas inúmeras propriedades medicinais. Desde há quase duas décadas que este fruto e a sua cultura se instalaram na região de Sever do Vouga, contribuindo actualmente para a beleza natural e paisagística do concelho.

O Mirtilo é uma baga, cor azul ceroso, com uma estrela de cinco pontas na sua parte superior. O seu tamanho varia entre os 7 e os 12 milímetros de diâmetro. A cera que o cobre, denominada de pruína, reveste um fruto de pele firme, cuja polpa é sucosa e aromática, de sabor agridoce. O Mirtilo, Vaccinium Corymbosum, também conhecido como arando, uva-do-monte ou blueberry, cresce num arbusto homónimo da família das Ericáceas do género Vaccinium. Podendo alcançar 1m a 1,5m de altura, estes arbustos de pequeno porte crescem em sub- bosques, zonas de microclima selectivo, das florestas temperadas da Europa.

O Mirtilo é um fruto silvestre que gosta de frio e, por isso, vive em regiões onde o Inverno é bastante rigoroso. Necessita em média de 700 a 1.000 horas anuais de temperatura entre os 10 e os 12 graus centígrados. Gosta também de solos não calcários e meia-sombra. Propaga-se por semente no Outono ou por estaca no fim do Verão e poda-se na Primavera para garantir um bom crescimento foliar.

As folhas colhem-se na Primavera e devem ser secas à sombra em local seco e bem ventilado, enquanto os frutos se colhem no Verão e devem secar ao sol. Os principais produtores de Mirtilos encontram-se no Canadá, EUA, Chile Uruguai, Argentina, África do Sul, Nova Zelândia, Itália, Inglaterra, Bélgica e Holanda. Em Portugal é na zona do médio Vouga, no vale do Rio Vouga, que se encontra o local ideal para a produção deste fruto, mais especificamente nos concelhos de Oliveira de Frades, Sever do Vouga, Águeda e Albergaria-a-Velha, sendo Sever do Vouga o que reúne as melhores condições.


A produção de Mirtilo na região de Sever do Vouga começou por volta da década de 90, altura em que a Fundação Lockorn, da Holanda, efectuou uma experiência nos concelhos de Sever do Vouga e Trancoso para perceber se possuíam as condições indicadas para garantir a produção do Mirtilo. Rapidamente a Fundação Lockorn junto com a Cooperativa Agrícola de Sanfins perceberam que o concelho de Sever do Vouga possuía condições ideais, que associadas às características do solo e do microclima, permitiam a produção do Mirtilo. Actualmente, o concelho de Sever do Vouga apresenta a maior área de produção de Mirtilo a nível nacional, produzindo cerca de 60 toneladas anuais em aproximadamente 20ha de cultivo. Para além de Sever do Vouga, existe igualmente produção do Mirtilo no Alentejo, com cerca de 14ha.