1ª Edição - 2008

Feira

A 1.ª Feira Internacional do Mirtilo nasce do projecto de cooperação transnacional, anteriormente referido, fi nanciado ao abrigo do programa LEADER+, e possui como parceiros e promotores nacionais:

  • Município de Sever do Vouga, através da sua associação a AGIM – Associação para a Gestão, Inovação e Modernização
  • ADRIMAG – Associação de Desenvolvimento Rural
  • Mirtilusa – Sociedade de Produtores Hortofrutícolas

como parceiros Internacionais:

  • Arandano Argentino da Argentina;
  • The Greennery da Holanda;
  • Urubery do Uruguai.

Este projecto de cooperação pretende dar a conhecer e também conhecer as boas práticas de cada um dos parceiros na produção, promoção e comercialização do mirtilo, daí que o projecto culmina com a realização da feira, com a apresentação do manual de boas práticas para a produção, promoção e comercialização do mirtilo que será implementado em cada um dos países participantes e com a criação da Plataforma Internacional de Comercialização e Transferência de Conhecimento para a produção do Mirtilo.

A assinatura desta plataforma decorrerá no dia 27 de Junho, com a presença de Suas Excelências Embaixadores da Argentina, da Holanda (Países Baixos) e do Uruguai, que conjuntamente com os representantes das empresas que fazem parte do projecto, e dos parceiros nacionais formalizarão a criação da plataforma cujos objectivos principais são: dar continuidade ao trabalho à cooperação transnacional, fortalecer as relações comerciais entre os quatro países e desenvolver parcerias entre o sistema científi co e tecnológico para a área da I&DT.

Integrado na feira está a realização do III Colóquio Nacional de Produção de Pequenos Frutos, que decorrerá no dia 26 de Junho, cuja organização cabe à DRAPC – Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro, à COTHN – Centro Operativo e Tecnológico Hortofrutícola Nacional, à APH – Associação Portuguesa de Horticultura, entre outras entidades.

OBJECTIVOS DA FEIRA

  • Divulgar o mirtilo e produtos afi ns no mercado nacional;
  • Fortalecer as redes de comercialização entre Portugal, a Argentina, a Holanda e o Urguai, para a comercialização de mirtilo e de outro pequenos frutos;
  • Criar a Plataforma Internacional de Comercialização e Transferência de Conhecimento;
  • Apoiar a valorização económica do Mirtilo;
  • Posicionar Sever do Vouga a nível regional, nacional e internacional, como concelho produtor de mirtilo.